Meu Diário | Dia 1: CRIANDO NOVOS HÁBITOS

Vou passar o mês todo de julho publicando aqui no blog os registros de como é, de fato, o meu dia a dia, a minha rotina. Será uma forma de lhes mostrar que um estilo de vida leve depende muito mais da forma como encaramos a vida do que de situações externas. Com isso, espero de coração te inspirar a também levar mais leveza ao seu cotidiano.♡

leveza

Não costumo mostrar tantos detalhes do meu dia a dia pelo Instagram, principalmente porque muitas vezes não sinto vontade de interromper algo que estou vivendo para registrar o momento através de fotos ou vídeos. Mas por aqui, de forma escrita, me sinto totalmente à vontade e confortável para compartilhar a fundo com vocês como é a minha rotina. :) Conforme vivi o dia de hoje, fui anotando num bloquinho quais foram as minhas experiências, sensações e quais detalhes transformaram cada momento em algo precioso.

Ah! E hoje foi o primeiro dia fazendo algo que eu espero que se torne um hábito (ao longo do mês veremos se esta vontade vai mesmo se concretizar! haha!) Sente-se na sua poltrona preferida, pegue um café, chá (ou quem sabe, uma taça de vinho - dependendo de quando você ler este post) e vamos ao meu dia!

 
5:10 da manhã

Hoje, meio que por acaso, fiz algo que gostaria de transformar em um hábito: acordei mais cedo.

Até pouco tempo atrás, essa ideia nem passava pela minha mente, meu ritmo estava diferente e eu não sentia esta vontade. Mas agora este desejo começou a despontar.

No meio da madrugada (não sei dizer a que horas exatamente, porque, bem, o sono e a escuridão não permitiram que eu procurasse o relógio que fica na mesa de cabeceira do meu marido - e costumo deixar o celular na sala: conto daqui a pouco sobre esta decisão) minha filha me chamou lá do quartinho dela. Ela dorme a noite toda. Sim. Mas isso acontece muito, muito, MUITO de vez em quando. Nas demais noites, ela desperta, sente medo e me chama. Eu poderia transformar esse simples fato de a minha filha não querer estar sozinha em uma grande desafio da maternidade, poderia tornar isso motivo de raiva, frustração, cansaço. Porém, acho que como eu própria vivi isso na minha infância e fui tão bem acolhida por meus pais, que me deixavam estar com ele em vez de passando medo no meu quarto, vejo essa necessidade dela de estar junto de nós algo muito natural.

Às vezes me deito ali com ela (bem espremida, diga-se de passagem, porque ela dorme numa cama-berço! Imagine a cena: eu, com quase 1,80m, num bercinho! haha! Pois é!) e às vezes a levo para a nossa cama. Hoje escolhi a segunda opção. Deitamos e peguei num sono profundo e revigorante. Um tempo depois abri o olhos e me vi completamente desperta. Não havia ainda sinal de claridade, mas senti que o nascer do sol estava próximo.

Silenciosamente, me levantei, peguei meu casaco e chamei uma das minhas cachorrinhas, a Mei, para ir comigo até a sala. Temos duas cachorras aqui em casa, a Xin e a Mei, e cada uma delas escolheu se apegar mais em um de nós: Xin é grudada em meu marido, e a Mei gosta de me acompanhar para todos os lados.


Pois bem, fomos nós duas, eu e Meizinha, para a sala.

Abri as cortinas e preparei um café preto.


O céu ainda escuro, o silêncio completo: nada na rua, nem os pássaros haviam ainda acordado...


Senti uma paz muito grande, uma sensação de plenitude, de que tudo está certo, de que tudo que estou vivendo está acontecendo da forma como deveria ser.

Peguei meu celular para ver o horário: 5:10. Ah! Sim. Sobre o celular ficar na sala! Nosso quarto fica bem próximo da sala de estar, portanto, deixo o celular no modo "não perturbe" (apenas as chamadas dos meus contatos favoritos irão tocar) e sei que, caso precisem de mim, irei ouvir o toque. E não levo o aparelho para o quarto. Eu quero, antes de dormir, ler meu livro sossegada, quero e sentir o meu entorno antes de correr para o celular. Então, o simples fato de deixá-lo fora do quarto me faz ter estes momentos de adormecer e despertar de forma mais leve.


Depois de checar o horário, comecei a pensar no que eu poderia fazer. Normalmente, pelo que vejo em livros e vlogs, quem acorda uma ou duas horas mais cedo do que o habitual, costuma, dentre outras coisas, fazer exercícios físicos.

Essa possibilidade passou pela minha mente, porém, confesso aqui: exercícios não são algo de que eu seja uma grande fã. (Está aí mais um hábito que preciso incluir na minha rotina.)

E, então, fiquei pensando: será que eu já deveria começar o dia fazendo algo que não é exatamente a minha praia só porque "todo mundo" diz que é ótimo? Resposta: não! :)

Então, peguei minha xícara de café, abri meu computador e fui fazer aquilo que amo: escrever.

Escrevi o Pequeno Guia do Mês para o Clube da Leveza. (Queria participante que está lendo a postagem, amanhã irei enviar a vocês por e-mail ♡) e anotei alguns lembretes no meu planner. Quando terminei, o café que havia sobrado estava não só frio, mas gelado, então completei a xícara com o café quentinho da garrafa térmica e comecei a preparar o café da manhã.

 
10:00 da manhã

Ter passado este tempo no início do dia escrevendo na casa silenciosa enquanto via o sol nascer e ouvia os passarinhos acordando foi algo que me trouxe um contentamento muito grande. Espero conseguir transformar isso em um hábito, mas farei isso sem tantas autocobranças: caso amanhã não consiga despertar antes do restante da casa está tudo bem. Aos pouquinhos vou encaixando esta vontade no meu dia a dia e tornando esse desejo numa realização. Depois que minha filha e meu marido se levantaram, tomamos juntos o nosso café da manhã ouvindo a playlist Manhã de Sol. Eu tenho mania de inventar algumas coisas não tão convencionais para esta primeira refeição, mas hoje preparei um café que, acredito eu, agradaria quase todas vocês que estão lendo: queijos, ovos, pães, frutas variadas, suco de laranja e servi também um pedaço de uma torta deliciosa que a minha fez de ricota com espinafre (provavelmente minha mãe preparou pensando em comer no almoço ou jantar, mas eu encaixo no café da manhã mesmo! haha!) Depois do café, como de costume, fui arrumar a casa. Enquanto cuidamos do lar, gosto de fazer duas coisas diferentes, dependendo da atividade: ou chamo a Alice para participar (quando é algo de que ela goste e esteja dentro do que consegue fazer), ou a deixo por perto brincando. A minha filha se sente bem por estar próxima de mim ou por estar, de fato, participando da tarefa, portanto, em geral, eu consigo ajeitar as coisas bem tranquilamente. Algo que ela descobriu recentemente e que ama fazer é brincar de servir chá enquanto eu lavo a louça. Temos um armário baixinho na cozinha onde guardamos alguns pratinhos e xícaras dela e, então, ela pega uma bandeja com pezinhos, senta-se no chão e fica ali se divertindo enquanto termino de organizar a cozinha.

 
11:30 da manhã

Neste horário eu normalmente preparo o almoço, mas hoje tínhamos na geladeira os famosos "restos". haha! Eu amo estas sobras: além de não desperdiçarmos comida, ganhamos um dia em que não precisamos cozinhar! :) Usei este horário para ficar com a minha filha. Às quintas, gosto de incluir na rotininha dela alguma atividade de música e hoje brincamos de trocar palavras de musiquinhas de que ela gosta por outras. Por exemplo, sabem aquela música: "borboletinha está na cozinha preparando chocolate para a madrinha?" A nossa versão ficou assim: A baratinha está na lavanderia preparando dobradinha para a lesminha. Gente, nós quase morremos de rir com as coisas que saíram. Quem me conhece pessoalmente sabe que a minha risada é pra lá de escandalosa, então fico imaginando que devia ter dado para ouvir nossas gargalhadas lá do outro lado da rua haha!

 
2:00 da tarde

Aqui em casa nosso cafezinho pós-almoço é tradicional.

Eu e o meu marido amamos ficar juntos no jardim conversando ou lendo enquanto a Alice brinca e as cachorrinhas tomam um sol.

Depois do café, é hora de trabalhar. Aqui faço uns bons malabarismos para conseguir me concentrar enquanto a minha filha está ao meu lado: nos próximos dias vou contar melhor para vocês como isso funciona e espero poder trazer algumas boas ideias para vocês que também são mães que trabalham de casa com crianças pequenas. :)

 
5:00 da tarde

Quase sempre este horário já estamos finalizando o dia da Alice, mas hoje resolvemos espairecer um pouco e fomos dar uma voltinha até um parquinho aqui perto de casa.

É tão gostoso poder ir caminhando sem pressa até lá e depois ficar observando a minha filha tão alegre brincando. Esta é uma das simplicidades preciosas do meu dia a dia.

Sempre falo sobre isso, sobre como o detalhe, o simples pode ser tão cheio de encanto: e eu realmente acredito que, quando damos valor a estes pequenos momentos, a nossa vida passa a ser muito mais leve, muito mais gostosa ♡

 
8:00 da noite

Hoje não vou descrever muito sobre a minha noite (acho que postagem já deve estar enorme! haha!), mas farei isso num dos próximos dias. Nossas noites costumam ser sempre muito gostosas. A Alice dorme cedo, e eu e meu marido adoramos preparar algum jantarzinho especial (não importa o dia da semana) e assistir a algum filme ou série juntos. Vamos, hoje, ver o finalzinho de Stranger Things (quem mais está assistindo?) e, em vez de cozinharmos, pedimos pizza! Por falar nisso, ela acaba de chegar! :) Então, minhas queridas leitoras, obrigada por ficarem comigo até agora! Espero que tenham gostado de ler um pouquinho sobre o meu dia tão simples, mas tão cheio de amor e leveza♡

Que vocês também percebam, cada vez mais, como suas próprias rotinas são recheadas de momentos preciosos!

Um beijo e até amanhã!


Inscreva-se e receba inspirações para uma vida mais leve:

Obrigada por se inscrever!

me acompanhe pelo instagram:

  • Instagram Andréia Janecek
  • Podcast Café da Tarde

ARQUIVO DE POSTS