POR QUE EU NÃO FAÇO DIETA

Como eu transformo cada uma das minhas refeições em fontes de prazer e leveza e mando qualquer culpa para bem longe de mim!

eu não faço dieta

Um café da manhã típico de hotel cinco estrelas - com direito a panqueca e ovos mexidos - para começar bem a semana;

Bolinho de chuva para comer à tarde assistindo àquela comédia romântica pela milésima vez;

Camarões grelhados e uma taça de vinho para o jantar de terça-feira: só porque deu vontade. Poderia descrever aqui inúmeras refeições simplesmente deliciosas que têm o poder de tornar situações comuns verdadeiros eventos cheios de aconchego e deleite.

macarrão com camarão

O post de hoje tem muito a ver com um episódio do Café da Tarde sobre Comida e Leveza. As minhas convidadas, Ana Carolina Campos, Anna Maduro e Katiane Araujo compartilharam suas visões inspiradoras sobre como é possível comer bem e ser livre para sentir prazer e alegria durante as refeições.

Por aqui, sigo neste mesmo caminho: vejo a comida fonte de nutrição para o meu corpo e minha alma, e não como uma vilã que deve ter suas calorias rigorosamente contadas.

Tirar do seu cotidiano todos aqueles alimentos que te são prazerosos é tirar o amor do ato de comer.


E trago um aviso importante: falo de quando resolvemos seguir dietas rígidas por nossa própria decisão, e não por problemas de saúde. Nesse último caso, é de extrema importância seguir à risca o recomendado. Sei disso, pois meu marido é celíaco e não pode ingerir um grama sequer de alimentos que contenham trigo. E é possível encarar esse tipo de restrição com muita leveza também - mas deixo isso para um próximo post.


Acredito que, quando não temos problemas de saúde, podemos comer livremente aquilo que nos faz bem e que esteja de acordo com a nossa visão sobre o mundo e meio ambiente.

café da manhã

Sigo alguns passos para que todas as minhas refeições me tragam bem-estar:


Presto atenção ao meu corpo

Realmente escuto quando sinto desejo de comer algo específico. E, todas as vezes, meu corpo pede por algo que me é necessário:

Sinto vontade de verduras e legumes frescos quando está calor;

Sinto vontade de comidas bem apimentadas quando preciso de energia;

Sinto vontade de comidas quentes e reconfortantes quando me sinto triste e quero aconchego.


Procuro variar

Sempre que tenho a oportunidade, experimento novos alimentos. Além de ser gostoso ter uma nova experiência, estas comidas e temperos recém-descobertos podem vir a fazer parte de uma alimentação cada vez mais variada.


Se estou satisfeita é o suficiente

Evito comer por gula e não sigo me alimentando quando já estou satisfeita.

Não preciso de grandes quantidades de comida por refeição. Na verdade, se ultrapasso este meu limite, me sinto estufada e sem energia.

Mais uma vez digo que, escutar o nosso corpo é garantia de nos sentirmos bem com aquilo que comemos.
avocado quinoa ovo

Transformo todas as refeições em momentos especiais

Quando digo que faço isso com todas as refeições eu realmente quero dizer t-o-d-a-s.


E isso não significa que preparo uma mesa chique sempre que nos sentamos para comer.

Na verdade, significa apenas que curtimos criar um ambiente de aconchego e alegria para desfrutarmos daquelas refeições.

Isso pode ser ir comer na varanda, cada um segurando um potinho no colo; pode ser sentar à noite com o meu marido no sofá e assistirmos a um filme enquanto comemos algo gostoso ou, então, tomarmos o nosso café da manhã ouvindo baixinho uma playlist alto-astral.

Acredito que comer sem culpa e sem imaginar que os alimentos irão nos trazer alguma consequência negativa transforma as nossas refeições diárias em momentos de bem-estar e leveza! Agora, me conte: Como é a sua relação com a comida?

Você segue alguma dieta ou prefere comer livremente?





Inscreva-se e receba inspirações para uma vida mais leve:

Obrigada por se inscrever!

me acompanhe pelo instagram:

  • Instagram Andréia Janecek
  • Podcast Café da Tarde

ARQUIVO DE POSTS