COMO CRIAR UM PODCAST

Hoje vou contar para vocês o passo a passo que trilhei para concretizar o meu sonho de ter um podcast!



Conheci o universo dos podcasts há não mais do que dois anos: e de cara me encantei! Adoro aprender algo novo, refletir ou escutar uma conversa leve enquanto lavo a louça ou ajeito algo na casa. Vira e mexe levo algum episódio para o nosso happy hour aqui em casa, e meu marido e eu morremos de rir juntos ouvindo papos pra lá de engraçados como os do “É Nóia Minha?”.


E, então, no início deste ano, tive a ideia de criar e produzir o meu próprio podcast, o Café com Leveza! Nesse podcast, trago conversas com mulheres muito inspiradoras sobre assuntos que podem trazer mais leveza ao nosso dia a dia.


E hoje compartilho com vocês que também têm vontade de ter seu próprio podcast todos os recursos que uso para transformar a produção do Café da Tarde em uma parte muito tranquila e prazerosa da minha rotina.

Vamos lá!


EQUIPAMENTOS

Quero começar pelo que eu considero o menos importante para que um podcast seja inspirador: a parte técnica.



É claro que um microfone e um programa de edição muito bons irão ser acréscimos incríveis ao seu podcast, mas isso não é o que irá definir se o seu programa terá um bom alcance.


Ou seja, se você tem algo legal a compartilhar, não deixe de fazê-lo apenas porque não pode investir em equipamentos de altíssima qualidade.

Eu uso o microfone Logitech G Pro X. Ele anula bem o som externo, é confortável, e a voz fica bem nítida. Mas já gravei alguns episódios usando o microfone que vem junto com o celular e deu tudo certo!

Para editar, gosto de usar o Filmora Wondershare para PC. Na verdade, ele é um editor de vídeo, mas funciona perfeitamente bem para edição de som também! Ele é pago, mas você pode usar qualquer editor de vídeo que grave em MP3 ou mesmo pode editar pelo própria distribuidora de podcasts, a Anchor (Recomendo demais que vocês distribuam seus podcasts por lá: a Anchor envia os seus episódios automaticamente para o Spotify e outras plataformas de áudio).


ROTEIRO

O roteiro é essencial para te guiar durante o episódio. Mesmo que você não tenha convidados ou que espere ter um papo mais descontraído e solto, é essencial que você tenha delineado como imagina que a conversa se desenrolará e tenha algumas perguntas preparadas na manga para que o papo não se perca.


Eu faço um roteiro bem simples e apenas com tópicos e perguntas importantes: não escrevo tudo o que vou falar para que o episódio não fique com um aspecto engessado e sem naturalidade.


CONVIDADOS

No Café da Tarde, penso sempre em temas mensais que possam ser uma fonte de inspiração e leveza para as ouvintes.


Os temas sempre começam com um prólogo, em que apresento o tópico do mês.

Na semana seguinte, temos o episódio central, em que recebo convidadas para aprendermos mais sobre o tema.

E, para fechar, há o epílogo: passo uma semana colocando em prática as dicas das convidadas e compartilho com as ouvintes sobre o impacto que as novas atitudes tiveram na minha rotina.

Para o episódio central, em geral eu convido três mulheres, mas já aconteceu de chamar mais ou menos convidadas.


Recomendo fortemente que você chame seus convidados com muita antecedência: isso irá evitar situações estressantes, afinal, imprevistos podem acontecer. Caso você precise remarcar a gravação do episódio, isso não será algo que te deixará afobada.

Outra dica que dou é: caso um dos seus convidados não consiga participar de forma alguma do horário da gravação, você pode enviar a ele as perguntas por WhatsApp. Ele, então, te envia as respostas em forma de mensagem de áudio e, depois, na hora da edição, você inclui essas respostas ao episódio.


Eu acredito que um dos melhores jeitos de gravar episódios com convidados é através do Zoom. Esse software permite que você grave o áudio do encontro e, além disso, salva o áudio de cada pessoa que participou separadamente (isso pode ajudar muito na hora da edição).



PARA QUE O PODCAST TE SEJA UMA FONTE DE LEVEZA

Para fechar, trago a última – e mais valiosa – dica!


Crie uma frequência para o podcast que seja confortável na sua rotina: se você não puder ter um programa semanal, você pode lançá-lo quinzenalmente ou até mensalmente.

Vá sentindo como essa nova atividade irá se acomodar ao seu dia a dia e, se necessário, faça mudanças para que a produção do podcast te seja agradável e tranquila e não se torne um compromisso que te cause afobação.


Agora, me conte:

Você tem (ou tem vontade de ter) um podcast?

Qual é a sua maior dúvida sobre a produção de um podcast?

Inscreva-se e receba inspirações para uma vida mais leve:

Obrigada por se inscrever!

me acompanhe pelo instagram:

  • Instagram Andréia Janecek
  • Podcast Café da Tarde

ARQUIVO DE POSTS