top of page

CONTENTAMENTO

Um conto sobre a leveza de sermos gratas por cada momento de nossos dias.

andréia janecek

CLARICE

O despertador toca, e o som arranca, de forma rude, Clarice de seu sono.

A perspectiva de se levantar e começar a executar as mesmas diversas tarefas a que já havia se dedicado no dia anterior, e no outro, e no outro é simplesmente aterradora. É como se a preguiça fosse um grande e pesado bloco colocado em cima de seu peito, sufocando-a e a impedindo de sair da cama. Clarice fecha novamente os olhos na esperança de poder dormir por mais alguns poucos minutos.


LOUISA

No jardim florido, bem-te-vis começam o dia cantando enquanto saem dos galhos onde passaram a noite. Eles batem as asas em direção ao céu azul e seus trinados chegam aos ouvidos de Louisa. A tentadora possibilidade de ficar por mais alguns minutos na cama perpassa sua mente mas, com um sorriso, ela decide ignorar a vontade. Louisa ora, agradecendo por mais um dia. Espreguiça seu corpo, sentindo cada músculo se alongando. Beija suavemente o rosto de seu marido e se levanta.

 

CLARICE

O pequeno Tom bate os pés, franze as sobrancelhas, demanda atenção. Sua mãe, nervosa com a pia cheia de louças a lavar e o cesto cheio de roupas a dobrar, perde a paciência. Já não tem mais ideias de como entretê-lo: a massinha fará bagunça, o kit de pintura nem se fale! Rendida, Clarice, resolve apelar à televisão. Liga o aparelho em um desenho supostamente educativo e se vê aliviada. Exausta, joga-se no sofá, ao lado do filho, e saca o celular do bolso, correndo os dedos para acessar as redes sociais e descansar um pouco a mente. A pia e o cesto de roupas podem esperar.


LOUISA

A casa está repleta de pequenos focos que precisam da atenção de Louisa. Sobre a pia encontram-se diversas panelas, vasilhas e pratos: vestígios de um almoço farto e caprichado. Antes de ir até lá, ela vai até a lavanderia e volta à sala carregando um grande cesto cheio de roupas a serem dobradas. A pequena Aurora corre até sua mãe, e as duas sentam-se no tapete felpudo da sala. Enquanto conversam, elas vão dobrando cada peça com capricho.

andréia janecek

CLARICE

A hora do jantar chega. Não houve tempo para prepará-lo. O que Clarice tanto fez para que o tempo voasse e lhe escapasse dessa forma? Não consegue entender. A casa segue desarrumada, o trabalho segue parado, seu filho segue sem ter o verdadeiro foco da mãe.

Clarice se sente chateada, frustrada. Num impulso autoindulgente, ela se convence de que merece uma recompensa por um dia tão infrutífero e, então, pede uma comida (gordurosa demais, saborosa de menos) para comerem naquela noite. A refeição é feita direto dos recipientes de isopor para que menos louças fossem sujas.


Clarice vai dormir naquela noite pensando em tudo que lhe falta, em tudo que ela precisaria ter para que pudesse ser, de fato, feliz.


LOUISA

Pequenos momentos de leitura em voz alta, música tocando enquanto a casa era organizada, uma pequena porção de trabalho realizada com sucesso, uma rápida - porém revigorante - caminhada até o parquinho do bairro antes do entardecer...

Ah, sim, claro. Há muitas coisas que Louisa não conseguiu fazer naquele dia. As roupas foram dobradas, mas não guardadas. A tradicional ida à biblioteca às quintas precisou ser adiada. O relatório do mês será feito só amanhã.

Mas agora, no anoitecer, a paz reina em seu lar. Enquanto Aurora brinca de chá sentada sobre o tapetinho da cozinha, Louisa prepara alguns simples sanduíches para jantarem. O tempo passou e ela não teria mais tempo para cozinhar a refeição que havia imaginado. Ela sorri enquanto corta os sanduichezinhos em pequenos triângulos e os empilha sobre um bonito prato de bolo enfeitado com flores.


Louisa vai dormir naquela noite pensando em tudo que ela vive, em tudo que ela tem e na gratidão e contentamento que sente por cada pequeno detalhe de seus tão felizes dias.

andréia janecek

Ah, como eu gostaria de ser cada dia mais parecida com Louisa.

Gostaria de não dar lugar à preguiça ou à autoindulgência.

Gostaria de sentir gratidão por cada momento do meu cotidiano.


E essa minha vontade tão intensa faz com que eu me esforce para trilhar esse caminho cheio de contentamento e leveza.


"Louvai ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua benignidade dura para sempre."
Salmos 107:1

Um abraço em você, querida leitora!


Tags:

9 comentários


Ateliê Chris Lacerda
Ateliê Chris Lacerda
05 de abr. de 2023

Mais uma vez, uma bela forma de mostrar que a vida é feita de milhares de pequenos preciosos instantes e só precisamos treinar o nosso olhar para enxergar toda essa beleza! Obrigada Andréia pela linda reflexão @ateliechrislacerda

Curtir
Andréia Janecek
Andréia Janecek
19 de abr. de 2023
Respondendo a

Um beijo!

Curtir

Convidado:
31 de mar. de 2023

Oiii Andréia

Amei o post♡

Nos faz refletirmos muito sobre como e o que queremos no nosso dia a dia.

Muito bom mesmo♡

Bjus

@mirianferrariportella

♡♡♡

Curtir
Andréia Janecek
Andréia Janecek
19 de abr. de 2023
Respondendo a

Um beijo!

Curtir

Itaguaci Fernandes
Itaguaci Fernandes
31 de mar. de 2023

Gratidão pelo post, minha querida!

Um abraço. 🙏🏻🤍✨🌷

Curtir
Andréia Janecek
Andréia Janecek
19 de abr. de 2023
Respondendo a

❤️

Curtir

Inscreva-se e receba inspirações para uma vida mais leve:

Obrigada por se inscrever!

me acompanhe pelo instagram:

  • Instagram Andréia Janecek
  • Podcast Café da Tarde

ARQUIVO DE POSTS

bottom of page